ELÍSIO AZEVEDO
 
Tempos de outro tempo
 
OPINIÃO | O antigo Grémio nasceu com um quadro de pessoal reduzido ao gerente, guarda-livros e dois escriturários
 
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
Em 28 de Outubro de 1941 tomou posse a primeira direcção do Grémio da Lavoura de Arouca, que seria extinto por despacho conjunto dos Ministérios da Agricultura e Pescas, Comércio e Turismo e do Trabalho, datado de 1 de Julho de 1977, sendo "transferidos para a Cooperativa Agrícola de Arouca, S.C.R.L. todos os bens, direitos e obrigações do extinto Grémio da Lavoura de Arouca", que ficou "com o encargo de garantir a continuidade de todos os serviços que o Grémio prestava aos seus associados".
A primeira direcção do organismo, constituída pelo dr. Alberto Gomes de Oliveira, dr. Albino Brandão de Sousa e Vasconcelos e Justino Gomes Teixeira, tomou posse no dia 28 de Outubro de 1941, mas, segundo o primeiro Relatório apresentado pelo Organismo em 1942 "... os últimos meses desse ano não acusaram qualquer resultado prático, destinando-se apenas à organização dos serviços de Escritório, Tesouraria e outros necessários ao natural funcionamento do Grémio".
Findo, porém, o primeiro ano de actividade, a direcção do organismo afirma não cometer qualquer
exagero ao declarar que os seus esforços, "durante o curto lapso de tempo decorrido, desde a fundação
deste organismo, foram sempre orientados por uma grande e sincera boa-vontade de sermos prestáveis
aos que vivem da terra".
Com um quadro de pessoal reduzido ao gerente, guarda-livros e dois escriturários, uma das grandes preocupações desses primeiros tempos foi a melhoria e preservação da raça arouquesa e "a questão dos lacticínios, cuja solução não foi encontrada ainda, dum modo satisfatório, em parte alguma".
Para isso, o organismo desenvolveu todos os esforços para fundar "uma cooperativa de lacticínios, como tábua de salvação em que todos" depositavam "as melhores esperanças".
No primeiro ano de funcionamento, o Grémio, como era conhecida a instituição, teve um resultado líquido de 131.199$95 e apresentou uma curiosa relação dos produtos vendidos, num valor de 242.001$92, o lucro obtido por cada quilo desses mesmos produtos. A maior margem de lucro obtido foi no sulfato de cobre, $38,7 por quilo e mais reduzida, $07 (menos de um tostão por quilo como então se dizia), no enxofre.
Independentemente destas pequenas curiosidades que hoje nos surpreendem (o gerente do Grémio ganhava 6.000$00 por ano, dois euros e meio por mês, e o guarda-livros 2.700$00), a grande preocupação dos responsáveis pelo organismo era o desenvolvimento da agro-pecuária, sobretudo dos lacticínios e nisso se empenharam desde o princípio.
Foi assim que, pouco tempo volvido, em 10 de Março de 1944, um pequeno grupo de agricultores se reuniu no salão nobre dos Paços do Concelho para assinar a escritura de constituição da Cooperativa Agrícola dos Produtores de Lacticínios de Arouca, com sede na freguesia de Rossas, mais tarde transferida para a sede do concelho.
Mas não se ficou por aqui a acção do organismo que, criada a cooperativa, se empenhou directa e indirectamente, em ir mais além - no dia 23 e Março de 1962, no Cartório Notarial de Arouca e perante o notário Henrique de Brito Câmara, foi assinada a escritura de fundação da Lacticoop - União das Cooperativas de Lacticínios de Entre Douro e Vouga, a qual foi subscrita pela Cooperativa Agrícola dos Produtores de Lacticínios de Arouca, a Cooperativa Agrícola de Lacticínios do Vale do Vouga e a Cooperativa Agrícola de Lacticínios de Sanfins.
O Grémio da Lavoura de Arouca foi extinto, mas independentemente de tudo e de todas as conotações políticas, deixou uma história e um legado - a Cooperativa Agrícola de Arouca e a Feira das Colheitas, cuja primeira edição se realizou em 22 de Outubro de 1944, o mesmo ano da fundação da Cooperativa.
Passados que são 75 anos, seria uma ingratidão negá-lo e uma injustiça esquecê-lo.
 
Arouca

Terça, 18 de Dezembro de 2018

Actual
Temp: 10º
Vento: WSW a 3 km/h
Precip: 0 mm
Nublado
Qua
T 11º
V 3 km/h
Qui
T 11º
V 3 km/h
PUB.
PUB.
 
INQUÉRITO
Onde vai passar o 'reveillon' este ano?
 
 
A Frase...

"A AECA existe há 27 anos e sempre valorizou o colectivo em detrimento do individual"

Carlos Brandão, presidente da associação empresarial, na cerimónia de aniversário

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 44 visitantes online