CÁTIA CARDOSO
 
O meu problema com o futebol
 
OPINIÃO | Continuo a ver uma escassez de cultura e de representatividade
 
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
O meu problema com o futebol é simples e, creio, lógico. Está relacionado com o facto de um clube, ao contrário daquilo que se diz no senso comum, estar mais longe do que parece de representar a terra cujo nome leva para o campo.
O desporto é - ou deve ser - um elemento da cultura, definindo-se esta como um "sistema complexo de códigos e padrões partilhados por uma sociedade ou um grupo social e que se manifesta nas normas, crenças, valores, criações e instituições que fazem parte da vida individual e coletiva dessa sociedade ou grupo" (fonte: infopédia).
A cultura de uma terra são os grupos e atividades que nela se expandem, refletindo-a, do ponto de vista da sua história, costumes e tradições. E, por isso, a cultura de uma terra deve igualmente incluir os seus desportistas. Dela fazem parte todos os seus descendentes. A cultura de uma localidade é construída pelas pessoas que ali crescem e vivem, pelos que se orgulham de estar ali e gritam o seu nome por
onde quer que passem.
Neste sentido, a questão parece tornar-se clara. Se o desporto é cultura, se o futebol é cultura, se a cultura de uma terra são as suas pessoas, porque é que os clubes de futebol de uma terra não são constituídos, na medida maior do possível, por jogadores da terra que representam? Será porque o futebol é cada vez mais um negócio e cada vez menos cultura? Se é, não devia ser. Porque o desporto até é bonito, mas não é representativo.
O meu problema com o futebol é que não consigo sentir-me representada por ele. Gostava que o Arouca jogasse com a prata da casa, e não a "emprestasse" (que termo tão feio para falarmos de pessoas!), quando a tem de qualidade, a outros clubes. Gostava que os jogadores da Académica, como quando o clube era grande e fazia História de Portugal (recorde-se a Crise Académica de 1969, já que celebra agora os 50 anos), fossem estudantes, para que me tivesse sentido representada quando estudei em Coimbra. Esta é a razão principal pela qual me afasto dos estádios - ou, melhor, pela qual não me aproximo dos estádios.
Todos os argumentos que contestem tal posição, poderão até ser legítimos, porém, continuarei a ver no futebol uma escassez de cultura e de representatividade que, por vezes, chega a afligir e magoar.
Creio na congruência de que uma pessoa que trabalha - seja em que área for - com a possibilidade de representar a sua terra, dará, inevitavelmente, mais de si, pois há um orgulho intrínseco difícil - ou impossível - de alcançar por quem vem de fora.
Evidentemente que, embora todas as circunstâncias, preferiria que o clube que tem o nome da minha terra jogasse num patamar tanto acima quanto possível. Evidentemente que preferiria que o Futebol Clube de Arouca se mantivesse na II Liga, e mais ainda que voltasse à I. Tudo isto, sem retirar nada do que referi atrás.
 
Arouca

Segunda, 15 de Julho de 2019

Actual
Temp: 17º
Vento: ENE a 2 km/h
Precip: 0 mm
Céu Limpo
Ter
T 27º
V 0 km/h
Qua
T 25º
V 3 km/h
PUB.
PUB.
 
INQUÉRITO
A providência cautelar interposta pela Lista A às eleições do FCA vai ter como desfecho o...
 
 
A Frase...

"Mansores está em contra-ciclo, no próximo ano lectivo vamos abrir duas salas de ensino pré-escolar com quarenta crianças"

Jorge Oliveira, presidente da JF Mansores, em declarações ao RV

PUB.
EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 23 visitantes online