JOSÉ CARLOS SILVA
 
Santa Casa
 
OPINIÃO | Instituição social mais antiga do concelho
 
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
A Santa Casa da Misericórdia é uma instituição leiga de ajuda e tratamento aos mais desprotegidos. Foi fundada em 1498 e está presente em todo o país.
Remonta ao final do século XV, ano de 1498, quando a Rainha D. Leonor de Lencastre, viúva de D. João II e com o apoio do Rei D. Manuel I decide fundar uma Irmandade de Invocação a Nossa Senhora da Misericórdia na Sé de Lisboa, com sede na Capela de Nossa Senhora da Piedade ou da Terra Solta. Seria posteriormente aprovada pelo Papa Alexandre VI.
Na escritura de fundação a Rainha outorga o papel de fundadores a "Homens Bons" que a corte portuguesa apoiava, estabelecendo assim o carácter leigo da confraria.
Desta forma, a Santa Casa, designação posterior dada pelo povo, ficaria constituída em uma tripla convergência de intenções de poderes: o religioso, a autoridade civil e a comunidade, representada aqui pela Santa Casa na figura de uma instituição privada com intenção caritativa, orientada pelos princípios estabelecidos pelas catorze obras de misericórdia, as corporais e as espirituais, também conhecido como o Compromisso ou Estatuto da Misericórdia.
Feita a contextualização histórica da Santa Casa da Misericórdia em Portugal, debrucemo-nos sobre a sua extensão arouquense. É a instituição social mais antiga do concelho - fundada em 5 de Julho de 1610 - e é aquela que oferece um número mais alargado de serviços sociais e de saúde à população. Tem uma sólida presença no município e tem granjeado prestígio e confiança ao longo dos tempos junto dos seus concidadãos.
Recordo aqui os três últimos provedores da Santa Casa de Arouca - Inês Vasconcelos, José Armando Miranda e Vitor Brandão - de perfil muito diferente entre si, mas cada um com o seu estilo e equipa conseguiram catapultar a instituição para uma visibilidade e dinamismo que hoje orgulha os arouquenses.
Inês Vasconcelos, que liderou a instituição durante vários mandatos, foi a mentora da construção do Lar da Terceira Idade, que entretanto sofreu ampliação, e que vem dando resposta a uma carência social, provocada pelo aumento da esperança de vida da população e da estrutura familiar que se foi alterando nas últimas décadas.
José Armando Miranda, com um estilo discreto mas assertivo, que transitaria da Provedoria de Inês Vasconcelos, procurou dar continuidade ao trabalho da sua antecessora e foi o responsável pela remodelação do Hospital da Misericórdia, depois deste ter sido desactivado com a construção do Centro de Saúde de Arouca.
Seguiu-se-lhe Vitor Brandão, que exercia as funções de clínico da instituição, e que concorreu à Provedoria nas primeiras eleições em que surgiram duas listas. Venceu Dario Tomé na contenda.
Com o espírito empreendedor que o caracteriza, associado à sua vasta experiência como clínico e conhecedor da realidade social do município, Vitor Brandão deu um forte impulso à instituição, alargando-lhe os horizontes.
Hospital, Unidade de Cuidados Continuados, Lar de Idosos, Centro de Dia, Serviço de Apoio ao Domicílio, Apoio ao Domicílio Integrado, Creche e Núcleo Museológico, são actualmente as áreas de intervenção da SCMA, uma das maiores empresas do concelho em volume de facturação e em número de colaboradores.
Sendo a maior, sem dúvida, na chamada economia social, que tem vindo a crescer significativamente nos últimos anos em Arouca em consequência da proliferação de instituições de solidariedade social ao longo do território arouquense.
No final do ano, termina o mandato da actual Provedoria e será altura dos irmãos da instituição voltarem a escolher os novos dirigentes para o próximo quadriénio.
Aos novos eleitos, desejamos que continuem a honrar os princípios e a história desta secular instituição social.
 
Arouca

Terça, 18 de Dezembro de 2018

Actual
Temp: 10º
Vento: SW a 3 km/h
Precip: 1.8 mm
Aguaceiros
Qua
T 11º
V 3 km/h
Qui
T 11º
V 3 km/h
PUB.
PUB.
 
INQUÉRITO
Onde vai passar o 'reveillon' este ano?
 
 
A Frase...

"A AECA existe há 27 anos e sempre valorizou o colectivo em detrimento do individual"

Carlos Brandão, presidente da associação empresarial, na cerimónia de aniversário

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 42 visitantes online