ELÍSIO AZEVEDO
 
Oportunidade perdida
 
OPINIÃO | Foi pena que nem se tivesse apercebido das muitas carências do concelho
 
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
O dr. António Costa visitou recentemente os passadiços do Paiva e, tanto ele como a comitiva que o acompanhou, ficaram deslumbrados com a riqueza da paisagem, a limpidez das águas do rio, toda a fragância de um ambiente que tem atraído milhares de visitantes e obtido a consagração a nível internacional.
Em declarações aos meios de comunicação social, o primeiro-ministro realçou a obra e o esforço da autarquia na preservação e aproveitamento turístico de algumas das maiores riquezas naturais do concelho, afirmando que, com a sua visita, pretendia, também, contribuir para uma maior divulgação do êxito obtido.
Foi rápida a visita e pena foi que não tivesse subido à serra da Freita e visitado outros locais de grande interesse turístico, nem se tivesse apercebido das muitas carências do concelho, a começar pelas vias de comunicação que condicionam todo o seu desenvolvimento económico e têm contribuído para a sua desertificação.
Nesse aspecto, a sua visita não contribuiu em nada para alimentar alguma esperança, nem sequer serviu para reconhecer a necessidade de preservar toda a riqueza natural do território - e para isso, bastava apenas deslocar-se à freguesia de Rossas ou reconhecer a necessidade de uma rede viária digna de um país europeu.
No primeiro caso e ali, a margem do rio Arda para cujas margens está anunciada a implantação de uma ciclovia entre a ponte da Costa e a sede do concelho, poderia ter apreciado um dos mais degradantes espectáculos, para o qual os próprios serviços municipais têm contribuído.
Ali, sob o vão do viaduto da Variante à EN 326, nasceu uma lixeira que transformou o local num vazadouro degradante, agravado ainda por se ter transformado no local onde quase diariamente vários tractores se dirigem para descarregar as cisternas dos dejectos no colector que atravessa a freguesia até à ETAR da Ribeira, exalando as suas fragâncias pelo espaço em redor...
Isso e enquanto a anunciada ciclovia não for construída e o rio Arda restituído à sua pureza inicial, teria sido um contributo para acelerar a obra e a preservação da paisagem e da natureza, já que os autarcas, e sobretudo os mais directamente responsáveis por tão importantes sectores, se têm mantido alheios e distantes do degradante espectáculo a que todos os dias se assiste e a lixeira continua a crescer - uma vergonha para a freguesia e uma vergonha para o Município.
O concurso da obra rodoviária entre Mansores e Arouca, que, concluída, seria suposto ligar Arouca à auto-estrada em Santa Maria da Feira foi aberto em 14 de Dezembro de 2000, o das obras de arte especiais em 21 de Maio de 2002 e a obra ficou concluída em Maio de 2006 - são passados dezoito anos sobre a abertura do primeiro concurso e mais doze sobre a conclusão do primeiro troço e ninguém sabe, agora, onde será feita a ligação à auto-estrada e muito menos ainda quando será retomada ou concluída a obra.
A visita do primeiro-ministro bem que podia ter servido e ter sido aproveitada para levar consigo uma imagem mais realista de um concelho do interior, das suas carências e da afronta que constitui uma obra inacabada e que, passados tantos anos, ninguém sabe quando será retomada e muito menos ainda quando será concluída e que constitui um testemunho e um exemplo do abandono do interior que, para
além de Lisboa, também é Portugal.
Fala-se agora muito de "desconcentração", mas muitos autarcas rejeitam a deconcentração proposta, que não correspondendo às suas expectativas e muito menos às necessidades, está longe de satisfazer as reivindicações de quem todos os dias enfrenta os constrangimentos da interioridade.
Se a inesperada visita do primeiro-ministro foi, para muitos de nós, uma surpresa agradável, também deixou em muitos outros algum vazio - se os passadiços do Paiva são uma iniciativa conseguida e que muito tem prestigiado o concelho, Arouca é muito mais que os passadiços e isso tem sido e continua a ser esquecido por quem nos governa e nos tem governado.
 
Arouca

Segunda, 15 de Outubro de 2018

Actual
Temp: 14º
Vento: SE a 2 km/h
Precip: 0 mm
Nublado
Ter
T 19º
V 0 km/h
Qua
T 18º
V 3 km/h
PUB.
PUB.
 
INQUÉRITO
Qual dos vereadores da oposição mais se destacou no primeiro ano de mandato?
 
 
A Frase...

"O orçamento para esta época ronda os 50 mil euros"

Júlio Moreira, presidente da UD Mansores, em entrevista ao RV

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 43 visitantes online