ARMANDO ZOLA
 
Insisto
 
OPINIÃO | Os conselhos só devem dar-se a quem queira recebê-los
 
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
Volto a dois ou três temas que, sobretudo nos últimos tempos, repetidamente tenho abordado. De forma breve para que todos caibam neste número e neste espaço do Jornal.

1.- Nova entrada na Vila a partir da Via Estruturante - parece-me, já o disse, um erro imperdoável o que se projecta fazer. Sem a visão de futuro, que levaria a uma ligação exterior até ao Alto da Estrada, pretende impor-se antes, com vistas curtas, uma solução técnica alheia à sensibilidade e realidade arouquenses e que, de uma assentada, mutila o ainda novo Espaço de Estacionamento e Feira a poente/sul da Vila, o recinto exterior do Museu Municipal e o terreno municipal fronteiro que serve actualmente de estacionamento e para o qual se projectou, há muito, o auditório municipal. Mas, como auditório municipal ou para outros serviços municipais, por exemplo, os espalhados pela Vila a pagar rendas elevadas, impunha-se, para esse terreno, um edifício municipal de referência, que rematasse, condignamente, a norte, a Rua D. Afonso Henriques e que pudesse enquadrar-se, adequadamente, com o histórico e
característico edifício contíguo do Pombal do Convento e com o do Museu Municipal, também próximo. Tudo será sacrificado ou inviabilizado, em favor de uma estranha e nefasta solução que nem sequer desviará o tráfego do local da Vila em que ele é mais congestionado! Merecíamos bem diferente e melhor, mas enfim!

2.- A limpeza da floresta - 15 de Março está aí. Alguns proprietários, com esforço e muito custo, conseguiram limpar. Não sabem se conforme o exigido, já que em email dos serviços do Estado se indica uma coisa, em panfletos, profusamente distribuídos, outra, as câmaras municipais uma outra e a GNR ainda outra. A confusão, nestas coisas,
é a pior conselheira. A verdade é que a esmagadora maioria dos proprietários não conseguiu cumprir. Não surpreende. Como não vai surpreender que as câmaras municipais não o consigam também. Como podem conseguir limpar tudo o que é dos particulares, se ainda não conseguiram limpar grande parte do que é seu? Diz, denotando algum desespero, o Sr. Ministro da Agricultura aos presidentes de câmara que deixem de gastar em festas e limpem as florestas e alguns destes respondem que o Ministro quer evitar que os eucaliptos ardam para alimentar os "lucros fabulosos" da "indústria da celulose". Enfim, mais confusão!
Mas, a partir de agora, por ordem do Estado, começam as multas. Por ordem de um Estado que continua com grande parte das bermas e taludes das vias nacionais por limpar. Um Estado que não cumpre, mas obriga a cumprir. Ou talvez não, pois acabo de ouvir o Sr. Presidente da República afirmar que o Governo não quer aplicar multas. Mais confusão!
Realce-se, entretanto, que o Governo está a avançar com o licenciamento de quase uma dezena de centrais de biomassa. Esse, um caminho promissor para ser seguido. Torne-se a biomassa florestal exígua para alimentar esses centros de produção de energia renovável e compensadora a sua recolha! Com isso, sim, muito se contribuirá para
uma eficaz, continuada e ambientalmente sustentável limpeza da floresta.

3.- A Via Estruturante - Vão decorridos já alguns anos, sugeriram-me que indicasse como proceder-se para apressar o processo relativo à Via Estruturante. Entendo, porém, que conselhos só devem dar-se a quem queira recebê-los e, depois, que não há receitas mágicas para conseguir, neste domínio, como em muitos outros, os resultados que se querem. Todavia, para os conseguir, é imprescindível dar ao processo, para que seja exequível, o preciso enquadramento jurídico, interiorizar a certeza da justiça da pretensão, de que esta se vai concretizar, de que os argumentos de quem no-los nega nunca são convincentes, de que a nossa é a primeira de todas as prioridades, de que para ela, mesmo que digam que os não há, se têm de conseguir sempre recursos e agir sem subserviências de qualquer tipo, sem calculismos ou interesses próprios de qualquer natureza, seja ela política ou qualquer outra.
Isso permite definir o rumo a seguir.
Definido esse rumo, há, contudo, em cada momento e circunstância, que, com disponibilidade inteira para toda e qualquer opção, saber discernir, escolher e ousar, contra ventos e marés, se necessário, mas sempre com bom senso e o maior apoio social, o passo a dar. E isso, esse passo certeiro, é coisa que já depende de quem tem a incumbência de o ousar. Não está nos livros, não se aprende em instituto, nem universidade. Se assim fosse, desculpem a imagem futebolística, já há muito Mourinho e Guardiola teriam aberto academias para ensinar a conseguir resultados, desobrigando-se eles de andar, para os conseguir, ainda que com salários principescos, dia a dia, ao frio e à chuva pelos estádios da velha Albion.

 
Arouca

Segunda, 24 de Setembro de 2018

Actual
Temp: 23º
Vento: ESE a 5 km/h
Precip: 0 mm
Céu Limpo
Ter
T 27º
V 5 km/h
Qua
T 28º
V 3 km/h
PUB.
PUB.
 
INQUÉRITO
Com a proposta do governo de reverter as agregações das freguesias, as uniões feitas no concelho de Arouca devem...
 
 
A Frase...

"Pretendemos manter as dinâmicas de trabalho, participar em projectos e proporcionar aos alunos um ensino de qualidade"

Adília Cruz, directora do AE Arouca, em declarações ao RV

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 45 visitantes online