FUTEBOL
 
PER: Futebol Clube de Arouca deve dinheiro a 58 lesados
 
(foto: Avelino Vieira)
Valor da dívida reconhecida pelo Tribunal ascende a um milhão e quinhentos mil euros
 
   Mais fotos
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
O administrador judicial da sociedade desportiva do FCA (SDUQ), Manuel Casimiro Bacalhau, comunicou ao Tribunal do Comércio, em 6 de Março, a lista provisória completa dos credores do clube, cumprindo mais uma etapa do Processo Especial de Revitalização (PER) requerido pelos dirigentes arouquenses. Como não houve impugnação nos cinco dias subsequentes, a lista tornou-se definitiva.
No total, foram identificados 58 lesados, entre trabalhadores, empresas e entidades públicas que reclamam pagamentos em dívida pelo FCA, totalizando 1.505.927,29€, ou seja, mais de milhão e meio de euros.
Da listagem que está publicada no portal CITIUS (plataforma electrónica do Ministério da Justiça), pode constatar-se que 25 dívidas respeitam a contratos de trabalho (jogadores e treinadores profissionais que já passaram pela equipa em épocas passadas, e dois credores são ainda funcionários do clube - Flávio Soares e Joel Pinho). Só a estes mais de duas dezenas de trabalhadores o débito é de 273 mil euros. Existem ainda dois processos pendentes a jogadores que totalizam uma dívida de mais 150 mil euros.
Outras entidades estão na lista de espera para receber: a Autoridade Tributária, o Instituto da Segurança Social, a Águas do Norte, a Construções Carlos Pinho Lda, a AICIA, o Estado (coimas e custas judiciais), o Município de Arouca, e ainda empresas de segurança, de hotelaria, de agentes de futebol, de transportes e de combustíveis.
Segue-se agora o período de negociação do plano de revitalização, em que a entidade devedora (FC Arouca) tentará um plano de pagamento diferido a aprovar pelos credores. Segundo o que uma fonte conhecedora do processo avançou ao RODA VIVA, a primeira proposta do clube terá sido pedir um perdão de dívida de 50%, e começar a pagar em prestações a partir de 2028.
Caso não seja aprovada pela unanimidade dos credores a versão final do plano, numa primeira votação, poderá ser aceite num segundo momento desde que recolha, pelo menos, o voto favorável de mais de dois terços da totalidade, e só assim poderá ser homologado pelo juiz e produzir efeitos.
No caso extremo de não haver acordo, o processo pode terminar com a insolvência da entidade requerente do PER, assim determina o artº 17º-G do DL 53/2004, de 18 de Março (Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas), na versão actualizada pelo DL 84/2019, de 28 de Junho. JCS 2020-04-06
 
Arouca

Quarta, 20 de Janeiro de 2021

Actual
Temp: 10º
Vento: WSW a 6 km/h
Precip: 1.4 mm
Chuvas Fortes
Qui
T 12º
V 6 km/h
Sex
T 8º
V 8 km/h
PUB.
PUB.
 
 
A Frase...

"Os arouquenses estão preocupados com o preço da água, tal como eu estou"

Margarida Belém, presidente da CMA, em entrevista ao RV

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 45 visitantes online