SOCIEDADE
 
O senhor Mário não morreu
 
Mário Teixeira (1938 - 2021)
ÓBITO | Enquanto alguém vivo se lembrar da história e da vida do Grupo Coral de Urrô...
 
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
O senhor Mário não morreu. Pessoas como o senhor Mário não morrem. Nunca. E não morrem, porque deixam um legado. Forte. Vincado. Duradouro. O senhor Mário vai viver sempre, enquanto alguém vivo se lembrar da história e da vida do Grupo Coral de Urrô. O senhor Mário vai viver sempre, enquanto alguém vivo se lembrar dos passeios e excursões que organizava, do entusiasmo com que nos convidava, do detalhe com que nos guiava. O Senhor Mário vai viver sempre.
Conheci o senhor Mário ainda na minha adolescência. O seu filho, José Teixeira, que também já nos pregou a partida de deixar-nos, convidou-me para tocar com o Grupo Coral, em algumas celebrações, durante o verão. Passei a colaborar mais regularmente, e não resisti, algum tempo mais tarde, a trabalhar regularmente com o Grupo. Porque o senhor Mário é uma força da natureza. Um líder, no melhor dos sentidos. Era fácil segui-lo, porque, antes de liderar, cativava. E ele sabia cativar. E, depois de cativar, sabia cuidar. Por isso, não era difícil sermos amigos. Eu, como muitos.
O senhor Mário é música. Todo ele. Da sua voz cheia, saíram muitas das obras que ouvimos pela primeira vez, e ouviamo-lo, ao detalhe, até sermos nós, todos, juntos, a fazer a música que ele tinha na cabeça, que ele tinha estudado ao pormenor, que o compositor queria que fizéssemos. O seu amor pela música, a sua devoção e a sua liderança fizeram dele um verdadeiro dinamizador local, da música litúrgica em particular, mas de toda a boa música. Porque ele conhecia (e muito bem) e amava (muito) a boa música. Arrisco dizer que, neste particular, nesta dinâmica de não deixar nada parado, o senhor Mário está para Arouca como o Cónego Ferreira dos Santos está para a diocese do Porto.
Há pessoas que, não importa por que motivo, se cruzam connosco, a determinada altura, e nos ajudam a fazer opções. O senhor Mário foi uma dessas pessoas. Aliás, era-o de forma natural, porque a paixão com que falava de música era mais do que suficiente para convencer qualquer um a gostar de música, a querer fazer música. E mesmo quando alguns tentaram, por querer ou sem querer, abalar este vínculo, ele, apesar de tudo, não deixou. Porque havia uma amizade muito mais profunda que nos unia. E foi ela que prevaleceu.
Divertimo-nos muito à mesa. A mesa, no Pinheiral, é sempre grande. Porque a família é grande, e os amigos, ali, são da família. Rimos muito. Partilhámos histórias. Lembrámos amigos. Enfim. Chegámos a ter um almoço combinado, mas outra partida, na altura do meu lado, não nos permitiu. De resto, o senhor Mário esteve sempre, sempre, ao meu lado, nos momentos mais difíceis. Da mesma forma que sempre acompanhou o meu percurso profissional, e sempre me encorajou, fossem quais fossem as minhas opções. O senhor Mário é assim.
Hoje, quando dizia ao seu filho António que não tinha palavras para dar-lhe, que a única vontade que tinha era de poder estar lá, e dar-lhe, a ele como a toda a família, o meu abraço, foi ele quem teve as palavras mais certeiras. Agora, é preciso continuar o que alguém começou. Porque o senhor Mário não morreu. 2021-02-05 Ivo Brandão
 
Arouca

Sexta, 07 de Maio de 2021

Actual
Temp: 18º
Vento: NW a 3 km/h
Precip: 0 mm
Céu Limpo
Sáb
T 18º
V 2 km/h
Dom
T 13º
V 5 km/h
PUB.
PUB.
 
 
A Frase...

"Sentimo-nos motivados ao ter connosco uma equipa sólida e coesa"

Celso Portugal, empossado como presidente dos BVA para novo mandato, em declarações ao RV

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 55 visitantes online