POLÍTICA LOCAL
 
«As pessoas têm o meu número de telemóvel e ligam quando necessitam»
 
Margarida Belém, presidente da Câmara Municipal de Arouca
ENTREVISTA | Em ano de eleições autárquicas Margarida Belém defende o seu mandato e afasta críticas
 
   Mais fotos
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
Margarida Belém fez o balanço do seu mandato como presidente da Câmara Municipal de Arouca nesta entrevista ao RODA VIVA.
Respondeu frontal e objectivamente a quase todas as questões e aproveitou a oportunidade para lançar algumas 'alfinetadas' ao principal partido de oposição - PSD.
Lembrou a obra feita pelos seus antecessores (Zola e Neves) à qual procurou dar continuidade e espera ver renovado o seu mandato nas eleições autárquicas aprazadas para o último trimestre de 2021.
A autarca mostrou estar em forma e com a lição bem estudada para os intensos meses políticos que se
avizinham no horizonte. José Carlos Silva

Vai recandidatar-se a um novo mandato? Com mexidas na equipa socialista?
Presentemente, estou focada no actual mandato e em continuar a fazer, em conjunto com a minha equipa, o melhor trabalho possível na gestão da pandemia e na defesa dos interesses de todos os arouquenses.

Caso seja acusada no âmbito do processo judicial "Operação Éter", avança na mesma?
Apesar do aproveitamento político que alguns estão a procurar fazer em Arouca e que não fazem relativamente a municípios da sua cor política, cujos autarcas também são abrangidos por este processo, estou completamente tranquila no que diz respeito ao seu desfecho, pois foram observadas todas as regras legais.

Depois de vários adiamentos, afirmou na última AM que a Ponte Suspensa só abrirá quando as questões de segurança estiverem ultrapassadas. Que condições de segurança ainda faltam garantir?
Creio que há algum equívoco. A empreitada de construção da ponte está concluída e todas as questões de seguranças foram acauteladas em devido tempo. O actual contexto pandémico, que inviabilizou a abertura da ponte no Outono, conforme era nossa expectativa, permitiu que, entretanto, fossem introduzidos melhoramentos, que já estavam pensados e que não eram impeditivas da abertura, como é o caso da melhoria dos acessos à ponte e do circuito de acolhimento do visitante. Procurámos assim fazer de uma contrariedade uma oportunidade. Já agora, no que concerne à entrada em funcionamento da ponte, e relativamente à qual há uma elevada expectativa, estamos condicionados pelo evoluir da situação pandémica que tem motivado, conforme é sobejamente conhecido, restrições à circulação, sem esquecer naturalmente os números de casos activos. Por mais desejosos que todos estejamos de ter a ponte a funcionar, até porque queremos que, tal como aconteceu com os Passadiços, esta seja um elemento impulsionador da economia local, o mais importante é garantir a saúde de todos.

Acredita, sinceramente, na rentabilização da Ponte Suspensa? Como reage à crítica daqueles que dizem que está ali um "elefante branco"?
Esta infra-estrutura, tal como outros investimentos anteriores, foi feita para consolidar a oferta turística a nível local, inserindo-se no âmbito de uma estratégia global de reforço da atractividade turística e económica do território. Assim, e como tem acontecido com outras atracções e dinâmicas, estou certa que esta será um importante recurso, desde logo, para os nossos agentes turísticos, nomeadamente empresas de animação, unidades de alojamento, restauração e que terá um impacto significativo a nível económico local e, sobretudo, num contexto pós-pandemia e de relançamento da actividade turística. É importante sublinhar que ainda a ponte não abriu e já tem uma elevada repercussão na imprensa nacional e internacional, já começou a arrecadar prémios e tudo isto é muito relevante para reforçarmos o nosso posicionamento como um destino de natureza inovador e competitivo. Até já temos outros municípios a nível nacional a quererem construir outras pontes suspensas que ultrapassem a dimensão da nossa!

Artur Neves já disse publicamente que não se recandidata à AM em 2021. Sente que vai perder um apoio de peso nas listas do PS?
Conforme revelou em entrevista a este jornal, na última edição de Dezembro, motivos profissionais impedem o engenheiro Artur Neves de integrar uma recandidatura à Assembleia Municipal em 2021. Dito isto e sabendo que há várias formas de participação cívica na vida política do Município, estou convicta que o engenheiro Artur Neves continuará a dar o seu apoio a esta linha de desenvolvimento do nosso município, que se iniciou há quase três décadas e que mudou de modo indelével o nosso concelho, linha esta que teve no doutor Armando Zola e no próprio engenheiro Artur Neves dois protagonistas essenciais.

Os vereadores do PS têm passado despercebidos ao longo deste mandato, ficando o palco político quase em exclusivo para si. Foi uma estratégia concertada?
O muito trabalho que temos vindo a desenvolver, em condições particularmente desafiantes, deve-se a um executivo altamente empenhado e comprometido com um projecto que mereceu a total confiança dos arouquenses, expresso através do seu voto, nas autárquicas de 2017. É também natural que quem lidera uma equipa acabe por ter uma maior visibilidade. A isso não será igualmente estranho o percurso anteriormente feito, o que leva a que seja uma cara mais conhecida.

O Orçamento para 2021 teve uma quebra significativa de 1,5 milhões nas receitas. Vai conseguir fazer "omeletes sem ovos"?
Fazemos o nosso trabalho com seriedade. Não empolamos orçamentos. A quebra que prevemos nas receitas é um sinal do rigor que tivemos na elaboração deste instrumento crucial de gestão municipal, um orçamento que, contrariamente ao que alguns eventualmente esperariam, não tem qualquer pendor eleitoralista. Como sempre, preocupamo-nos, sim, em fazer o melhor possível com os recursos disponíveis e estar sempre atentos a oportunidades de financiamento, nomeadamente comunitário, e é isso que continuaremos a fazer neste ano de 2021, garantindo que são executados os projectos que consideramos mais prioritários para a promoção da qualidade de vida dos arouquenses e para o reforço da competitividade do território.

A oposição foi dura nas críticas ao Orçamento e GOP. Foram injustos ou dá-lhes a mão à palmatória em algumas observações?
É natural que a oposição seja crítica relativamente ao Orçamento e às GOP, pois estas reflectem as opções de um Executivo que não é o seu. Não nos podemos esquecer ainda que este é um ano de eleições autárquicas e que, se calhar, um eventual agudizar das críticas a isto não é alheio. Agora é importante também, para um exercício de oposição responsável, que, ao sugerir-se novos investimentos também se deva, simultaneamente, indicar que investimentos devem ser cortados, bem como as fontes de financiamento para esses novos investimentos. O orçamento é finito, pelo que não é de todo correcto querer-se passar a ideia de que é possível fazer tudo. Porque não é!

O PSD é líder nas freguesias e na AM, só lhe falta conquistar a CMA. Não teme as próximas eleições autárquicas, devido ao desgaste pela prolongada presença do PS no poder em Arouca?
A prolongada presença do PS, para usar a vossa expressão, tem representado, desde o primeiro momento, um projecto ímpar de desenvolvimento local, com a melhoria de modo significativo
da qualidade de vida de todos os arouquenses e que por todos é reconhecida, inclusive por quem aqui não vive, nomeadamente dos residentes em concelhos à nossa volta. Temos obra, muita obra feita. Vermos o ponto de partida e onde nos encontramos actualmente é encontrarmos um município significativamente diferente. E isso sim, é o que dita os resultados nas eleições autárquicas! Quanto a um eventual desgaste a que aludem do PS, é uma avaliação vossa. Não é isso que sinto no contacto com os arouquenses. Pelo contrário! E estou certa que é isso que irão demonstrar, uma vez mais, aquando das eleições, renovando o voto de confiança dado em 2017.

Está preparada para que o preço da água em Arouca venha a ser tema central nessa campanha
eleitoral?

Os arouquenses estão preocupados com o preço da água, tal como eu estou e todo Executivo está. Estamos todos a lutar para que o acesso a água com qualidade se faça a preços ajustados. Quanto mais unidos estivermos todos, maior será a nossa capacidade de pressionar e, por essa via, influenciar as tomadas de decisão.

Arouca poderá vir a beneficiar da "bazuca da UE"? Em que áreas vai apostar a autarquia?
Arouca tem sido exemplar na utilização dos fundos comunitários. Um dos últimos exemplos, é termos conseguido passar para 85% o financiamento da ponte suspensa, que inicialmente estava nos 50%. Será assim que continuaremos a agir. Venha a bazuca! Iremos apontar a mesma, se tal for possível pois ainda não há muita informação disponível sobre as áreas de intervenção, para acções de diplomacia económica para que as nossas empresas que estão a ser mais afectadas pela pandemia sejam devidamente apoiadas, ampliar e modernizar as zonas industriais, investir sector agroflorestal, alargar a rede de água e saneamento e, como não poderia deixar de ser, para aprovar investimentos na área da acessibilidades, em particular promover a concretização da última fase da variante, agora que já está em curso a ligação do Parque de Negócios de Escariz à A32, e a estrada do Rossio à Abelheira.

Acredita que o hotel no Convento ainda virá a ser uma realidade? Não será a "fábrica de cerveja-fantasma" do seu mandato?
Conforme é sobejamente conhecido, o sector turístico foi um dos mais afectados com a pandemia, não apenas a nível nacional, mas também internacional. Assim, é normal que, no actual contexto, as empresas repensem a sua actividade e os investimentos previstos. Ainda assim a informação de que disponho até ao momento, é que o investidor, privado, mantém o total interesse em avançar logo que possível com esta unidade de alojamento.

O que mudou a cidadã Margarida Belém enquanto presidente da Câmara?
A cidadã e a presidente são a mesma pessoa, com os mesmos valores. Para a cidadã Margarida Belém ser a Presidente da Câmara do seu município é um enorme privilégio. Procuro honrar todos os dias o voto de confiança que os arouquenses me deram e à minha equipa a 1 de Outubro de 2017.

Como reage àqueles que dizem que é obcecada pelo "show-off" e pela sua imagem pública?
"Aqueles" têm num nome: é a oposição feita pelo PSD. Há falta de outros argumentos mais substantivos para fazerem luta política, escolheram usar esse, que não tem qualquer adesão à realidade.

É fácil trabalhar consigo?
Quando estamos em posições de liderança, por vezes, sentimos algum distanciamento por parte das pessoas, um maior cuidado na forma como colocam as questões, por exemplo. Sabendo desses constrangimentos, tenho procurado manter uma política de porta aberta, desde logo para os funcionários do município, mas também para os munícipes. As pessoas têm o meu número de telemóvel e ligam quando necessitam, como tantas vezes acontece. Na rua sou abordada com frequência pelos munícipes para partilharem os seus problemas, darem sugestões e uma palavra de incentivo.

A gestão da pandemia. Uma lição de vida?
A pandemia mostrou-nos, a todos, a volatilidade e, simultaneamente, a preciosidade da vida. Mostrou-nos
que, num instante, tudo pode mudar e num mundo que se tornou obcecado pelo novo, pela mudança, a pandemia mostrou-nos como o conhecido, o habitual, são afinal tão importantes. Mostrou-nos ainda que as pessoas são resilientes e solidárias e que em Arouca o espírito de união tem prevalecido. Veja-se o caso do lar de Alvarenga em que os profissionais se mantiveram a trabalhar, inclusive os que haviam testado positivo, em condições muito difíceis e desgastantes. Este é um exemplo de entre muitos!

Consigo na presidência a relação da autarquia com o FCA mudou. Separou as águas para evitar a
tão propalada promiscuidade entre o futebol e a política?

O Futebol Clube de Arouca é um dos símbolos do concelho e no que estiver ao alcance do Município tudo faremos para que mantenha a sua actividade. Agora é importante, contrariamente ao que por vezes alguns querem fazer querer passar, que se distinga a instituição Futebol Clube de Arouca daquelas que são as suas circunstâncias num período específico de tempo. O Futebol Clube de Arouca é um dos maiores símbolos de Arouca que engrandeceu, engrandece e vai, certamente continuará a engrandecer o nome da nossa terra.

Desejo para 2021?
Saúde! Porque, como nos tem demonstrado a pandemia, se tivermos saúde, o restante surgirá! 2021-01-31


MARGARIDA MARIA SOUSA CORREIA BELÉM
58 anos, natural da freguesia do Burgo
Licenciada em Turismo, pela Universidade de Aveiro
Profissionalmente esteve ligada à Fábrica de Calçado Clarks, no cargo de secretária da administração. Seguiu-se uma longa carreira como técnica superior da Região de Turismo da Rota da Luz, primeiro em Arouca e mais tarde em Aveiro Convidada por Artur Neves para o lugar de vereadora nas eleições autárquicas de 2009, completou dois mandatos nessa qualidade
Em 2017 assumiu a liderança da autarquia, vencendo a contenda eleitoral com maioria absoluta, e caso vença a próxima ficará com o recorde de longevidade de autarca arouquense em cargos executivos na edilidade

 
Arouca

Sábado, 27 de Fevereiro de 2021

Actual
Temp: 12º
Vento: SE a 3 km/h
Precip: 0 mm
Nublado
Dom
T 16º
V 3 km/h
Seg
T 14º
V 5 km/h
PUB.
PUB.
 
 
A Frase...

"A Academia Sénior de Arouca preocupa-se com todos, ninguém fica para trás"

Carlos Silva Sousa, presidente da ASARC, em entrevista ao RV

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 45 visitantes online