SOCIEDADE
 
Reflexões e acções em tempo de quarentena
 
Arouca, 21 de Março de 2020 (foto: José Augusto Ferreira)
COVID-19 | «Como está? Sou psicóloga e faço muitas vezes esta pergunta»
 
   Mais fotos
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
Como está?
Sim, como está?
Por onde começar a responder a esta pergunta...
Muitas das respostas que ouço atualmente são: estou "confusa", "preocupado", "a minha ansiedade está a voltar", "sinto-me triste, eu não quero estar assim, mas sinto-me tão...", estou "com receio, tenho medo", "sinto-me só", "é estranho", "estou estranha", "tenho dificuldade em me definir", estou "ambivalente, ora estou agradecida, ora estou... até mesmo zangada", estou "exausto", "irrito-me por tudo e por nada", "isto assim é uma seca"... Também ouço: estou "estranhamente bem", como que surpreendidos com a forma como se sentem face ao ambiente que os rodeia (às vezes fica no ar um "será normal sentir-me assim?", "não deveria sentir...").
Pare! Respire! Sim, experimente estar atento à sua respiração e faça-a mais pausadamente. Conseguiu? (Espero que sim e que, de vez em quando se recorde de ficar só com a sua respiração, nem que seja só por uns minutinhos).
Como está?
Sou psicóloga e faço muitas vezes esta pergunta sempre com vontade de saber a verdadeira resposta.
Hoje gostaria mesmo que fizéssemos esta reflexão sobre o nosso estado.
Cada um de nós está a viver um momento pessoal, físico, mental, social, cultural e espiritual diferente de todos os que viveu até ao momento. É um estado (um modo de estar, situação, condição) e por isso mesmo é algo que "vai passar", esperando que aconteça o que está escrito em muitas varandas deste nosso mundo: "Vai ficar tudo bem".
Assim sendo, como é que vamos passar este estado? Como fazer para que corra tudo bem?
Com os 3 C's: Cuidar, Continuar e Comunicar.
- Cuidar de mim, de ti, de nós. Estarmos atentos a nós próprios e aos que nos rodeiam. Estarmos informados, através de fontes de informação credíveis e oficiais, sobre o que está a acontecer. Se soubermos o que fazer, como devemos proceder e formos coerentes com esse dever, atuando em conformidade, "vai ficar tudo bem". Cuidamos quando pomos em prática ações de etiqueta respiratória e não tocamos na cara com as mãos, quando lavamos as mãos, quando respeitamos o distanciamento social e as recomendações relativas ao estado de emergência em que nos encontramos.
- Continuar a alimentarmo-nos bem, manter o sono "em dia", a exercitar, mover e, se assim desejarmos, dançar, cantar, pintar, ler, ouvir música, ver um filme (prosseguindo com os nossos hobbies favoritos), a fazer o que gostamos e o que nos relaxa. Respeitemos as nossas rotinas, elas são importantes.
- Comunicar os nossos sentimentos, as nossas emoções, os nossos pensamentos, as nossas opiniões, as nossas dúvidas, as nossas necessidades. Com quem? Com quem convivemos, mas principalmente com aquela(s) pessoa(s) que sempre nos compreenderam, com as que nos "dizem as verdades" ou simplesmente, com quem gostamos e em quem confiamos. Com os profissionais de saúde (médicos/as, enfermeiros/as, psicólogos/as...) quando sentirmos que é o melhor. Frente a frente (com a devida distância), por telefone, por videochamada, por mensagem, pelas redes sociais... Sejamos compreensivos e pacientes, disponíveis e capazes de expressar o nosso apoio, afeto e amor.
E se tudo for intenso demais? Se o medo, a ansiedade, a tristeza, a zanga, o nervosismo forem demais? E quando o stress está instalado e "teima em ficar"? E se tivermos dificuldade em dormir, se comemos de mais ou de menos ou sentirmos incapacidade para realizar atividades do dia-a-dia? E se dermos connosco a enveredar por vícios para tentar lidar (mal) com a situação de crise que vivemos? O que faremos? Comunicamos, pedimos ajuda, apoio. Sugiro, nestes casos, que procure um/a psicólogo/a.

Podemos contar, com o apoio do Município de Arouca, recorrendo à "Linha Amiga", através do contacto telefónico 256 136 585. Como escreveram aquando a divulgação deste apoio: "Falar pode ajudar". Ajuda mesmo.

Para mais informação:
A Ordem dos Psicólogos Portugueses, através do sítio da internet: https://www.ordemdospsicologos.pt/pt/covid19, partilha vídeos e documentos de apoio onde poderão aceder a conteúdos como:
- "Como explicar a uma criança a importância das medidas de distanciamento social e isolamento";
- "Como lidar com uma situação de isolamento se for um cidadão sénior (ou seu familiar)";
- "Como lidar com o stresse durante o surto de COVID-19";
- "Ajudar as crianças a lidar com o stresse durante o surto de COVID-19";
- "É importante combater o estigma e a discriminação"; e,
- "O auto-cuidado e bem-estar dos profissionais de saúde durante a pandemia", entre outros.
Maria Helena Pinto 2020-03-25

 
Arouca

Quarta, 12 de Agosto de 2020

Actual
Temp: 18º
Vento: NNW a 3 km/h
Precip: 0 mm
Céu Limpo
Qui
T 24º
V 5 km/h
Sex
T 23º
V 5 km/h
PUB.
PUB.
 
PUB.
 
A Frase...

"Ser padre é dar a vida, renunciar muitas vezes às minhas vontades, ouvir os sofrimentos das pessoas e sofrer com elas"

Misael Fermín Calderon, o novo vigário paroquial de Arouca

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 22 visitantes online