POLÍTICA LOCAL
 
Freguesia de Urrô nas mãos de Geraldo Campas
 
Geraldo Campas é engenheiro civil
ENTREVISTA | Novo autarca afirma-se reivindicativo e de bater o pé "quando for preciso"
 
   Mais fotos
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
ENTREVISTA | A freguesia de Urrô tem novo presidente desde as últimas autárquicas. Geraldo Campas, 42 anos, casado, uma filha, natural do lugar do Merujal, engenheiro civil, sucede no cargo a Carla de Jesus. No anterior mandato autárquico estreou-se a desempenhar as funções de secretário no mesmo executivo. Foi membro da assembleia dos compartes dos baldios do Merujal durante alguns anos e sócio-fundador da Associação Cultural, Desportiva, Recreativa e Social Portas da Freita, da qual ainda faz parte da assembleia-geral. Numa conversa franca, Geraldo Campas faz o diagnóstico da freguesia e apresenta algumas das propostas que pretende levar a cabo no presente mandato. Com humildade e determinação.


Como surgiu a liderar a lista do PSD à JF Urrô, em detrimento de Carla de Jesus?

A Carla de Jesus tomou a decisão de não se recandidatar à Junta de Freguesia de Urrô. Os motivos foram pessoais e só a ela dizem respeito. Se ela se recandidatasse, eu acompanhá-la-ia. O PSD precisava de um candidato à Junta. Nunca me vi como candidato. Houve muita insistência do partido, muita mesmo... Depois de muito insistirem, aconselhei-me junto da minha família e amigos e aceitei o convite. A freguesia de Urrô é a única freguesia do concelho que tem lugares tanto no vale de Arouca como no planalto da serra da Freita. É uma freguesia muito diversificada. Não seria fácil a um candidato natural de uma aldeia do planalto da serra da Freita (Merujal) vencer as eleições. A verdade é que a minha confiança não era muita. O PSD Arouca, família e amigos achavam o contrário. Tive então que pôr mãos à obra na construção de uma lista de pessoas que dessem garantias, pessoas humildes, de famílias humildes, honestas, pessoas com vontade de arregaçar as mangas para dar o melhor pela freguesia. Reuni pessoas que, entre elas, se conhecem bem. Representam todos os vários lugares da freguesia, com vidas distintas, representam a variedade da freguesia no que respeita às suas necessidades e geografias. A candidatura não era só de uma pessoa, mas sim de uma equipa de cidadãos, todos eles aptos para ocuparem um lugar na assembleia de freguesia.

A vitória tangencial (41 votos) foi um cartão amarelo à anterior gestão, da qual fazia parte?
Pode-se ver o resultado de várias maneiras. Também podemos dizer que foi um voto de confiança. Até poderia ser só de um voto que a nossa vontade de melhorar as condições de vida do povode Urrô seria a mesma. Como referi anteriormente, não seria fácil a um candidato natural de uma aldeia do planalto da serra da Freita vencer as eleições e ainda mais sendo contra uma lista do PS encabeçada por um antigo presidente de Junta que esteve 16 anos na presidência. Mas o povo assim o quis. Além disso, gerir a Junta de Freguesia de Urrô não é fácil. É uma freguesia grande com muitas e grandes aldeias mas com um orçamento dos mais baixos das freguesias do concelho. Da Câmara Municipal recebe anualmente como comparticipação para Construção/Beneficiação de caminhos públicos vicinais de apenas 13.824 euros. De todas as freguesias do concelho de Arouca, só a freguesia de Várzea é que recebe menos que a de Urrô, sendo bastante mais pequena. Se não tivermos apoio da Câmara, pouco se consegue fazer no desenvolvimento da freguesia. E da Câmara Municipal o apoio foi pouco. Alias, há promessas que fizeram que ainda não cumpriram.

Quais são as principais prioridades para este mandato?
As prioridades estavam descritas no nosso manifesto eleitoral. Prometemos lutar por essas prioridades. Não vamos mudar o rumo do que estava lá escrito. A nossa palavra é só uma e mantém-se. Não a mudamos! Também não nos vendemos. Muitas das prioridades têm que ser executadas com o apoio de várias instituições, principalmente da Câmara Municipal, e estas podem não nos querer ajudar a concretizá-las. Mas a nossa luta será muito grande para atingir os objectivos e o povo estará sempre informado sobre qualquer assunto. O nosso objectivo é dar à população uma freguesia com rumo, agradável para os seus habitantes, acolhedora para todos os que vêm de fora, seja para a visitar, seja para nela trabalhar ou residir. É nossa intenção estar em permanente contacto e articulação com todos os fregueses, no sentido de melhorar efectivamente a qualidade de vida dos habitantes de Urrô. Lutaremos sempre pelas necessidades e principais interesses do povo de Urrô, com humildade, espírito de trabalho e consciência de que cada "morador" espera acima de tudo ser representado em qualquer lugar ou momento, com respeito, educação e dignidade. Em resumo, conforme descrito no nosso manifesto, eu e os meus colegas que fazem parte da Junta, o Joaquim Vieira e a Alvarina Melo, iremos lutar pelas prioridades seguintes: assegurar condições fundamentais de circulação rodoviária na freguesia; conclusão do projecto de toponímia em toda freguesia; assegurar que todos usufruem dos sistemas de saneamento de águas residuais e de abastecimento de água de consumo; conclusão do projecto de restabelecimento de caminhos florestais e linhas de água na área afectada pelo incêndio de 2016; apoiar as associações de pais e encarregados de educação e as actividades desportivas, culturais e recreativas da freguesia e respectivas associações.

A freguesia de Urrô parece estar um pouco adormecida? Concorda?
Urrô não tem passadiços, não tem rio Paiva, não tem uma zona industrial, mas faz parte de um vale e serra lindíssimos, onde vive muita e boa gente digna e de trabalho. Tem a única e saborosa broa de abóbora, tem o grupo coral que deixa todos encantados com as suas actuações e também com a sua escola de música, a Numofreita, a sede da Associação Académica, a Associação de Caça e Pesca, o rancho de Lourosa de Matos, as cantadeiras de Souto Redondo, o parque de campismo no Merujal, a Senhora da Lage, o Centro de Dia da SCMA. A Igreja de Urrô, com a sua torre histórica, é digna para quem cá mora e também para os arouquenses em geral. Igreja esta que é classificada como imóvel de interesse público e aparece no site do município de Arouca como um dos locais a visitar no concelho. Poderia ter um pólo escolar, mas foi um assunto muito mal acompanhado na altura. Não concordo que digam que a freguesia de Urrô está adormecida. Quem o diz não a conhece. De melhoramentos precisa muito, mas adormecida não está.

Como é que se encontra o movimento associativo na freguesia?
Na freguesia de Urrô existem oito associações em plenas funções. Umas mais que outras, é verdade, mas todas dinâmicas. A freguesia de Urrô possui associações em quase todos os lugares da freguesia: Associação da Comissão de Festas da Imaculada Conceição de Maria na Póvoa Reguenga; Comissão de melhoramentos de Souto Redondo; Adelma - Associação Desportiva de Lourosa de Matos; Centro Cultural Recreativo e Desportivo de Lourosa de Matos; Associação Caça e Pesca de Urrô; ACD Urrô - Associação Cultural e Desportiva de Urrô; Numofreita - Núcleo Motoristas da Serra da Freita e o Grupo Coral de Urrô. Todas as associações têm planos de actividades que cumprem. A maioria participa nas actividades organizadas tanto pela Junta de Freguesia como pela Câmara Municipal, nomeadamente o desfile de carnaval, recriação histórica, etc. Os apoios que as associações têm são muito poucos. A Junta dá o que pode dentro do minúsculo orçamento que tem. Orçamento que foi aprovado por unanimidade pela Assembleia de Freguesia.

O lugar do Merujal não deveria ter mais notoriedade no contexto turístico do Arouca Geopark?
Pois claro que deveria. O Merujal fica a cerca de 900 metros de altitude. Era por lá que passava a Via Romana que ligava Viseu ao Porto, datada do século II e era passagem obrigatória dos almocreves com as suas mercadorias entre as duas cidades. Existe a capela da Senhora da Lage. Capela com muita história. As datas mais antigas que aí se encontram são a de 1652 num cruzeiro e 1680 na padieira duma janela da capela-mor. É um importante local de devoção popular, palco da grande romaria que se celebra a 3 de Maio, muito concorrida pelas gentes da serra e dos municípios vizinhos. Apelidada de Festa da Senhora da Lage e, também, por Festa das Cruzes, dado o elevado número de cruzes representativas das diversas freguesias que participam nas cerimónias. Senhora da Lage foi assim baptizada por estar instalada em enormes lajedos graníticos, integrados no planalto da serra da Freita. Uma observação atenta destas rochas permite encontrar, por exemplo, curiosas pias que servem de bebedouros naturais da vida selvagem. Próximo da Senhora da Lage merecem particular destaque as paredes naturais graníticas escarpadas, muito procuradas pelos praticantes de escalada e rapel. Merujal tem o parque de campismo que está instalado num pequeno bosque sendo um dos destinos obrigatórios para os que gostam de desfrutar da natureza em todo o seu esplendor. Tem uma Estação da Biodiversidade que tem como objectivo aumentar o conhecimento sobre a biodiversidade, contribuir para a valorização do património natural e, especialmente, promover a participação dos cidadãos na relação com a fauna e a flora. Tem o rio Caima que poderá também ser explorado. A antiga escola primária do Merujal está a ser recuperada e adaptada para fins turísticos pela CMA. Existiam dois percursos pedestres a iniciar e/ou terminar no Merujal. Falta de manutenção e com os fogos de 2016 foram destruídos. A Câmara está a revitalizá-los. Por isso, penso que sim, a Associação Geoparque pode dar mais notoriedade ao lugar do Merujal e arredores como por exemplo, entre várias outras coisas, podem ser construídos miradouros, criar novos e melhorar os existentes parques de lazer e percursos pedestres.

Outros núcleos populacionais da freguesia, casos de Urrô, Nogueiró, Lourosa de matos e Souto Redondo, têm reivindicado novos melhoramentos?
Todos os lugares reivindicam por melhoramentos. Principalmente por melhores condições de circulação rodoviária e pela execução dos sistemas de saneamento de águas residuais. Vamos procurar atender as necessidades de todas as pessoas. A estrada municipal 511-2, por exemplo, que liga todos estes lugares da freguesia, começa a não ter condições para a circulação rodoviária. É uma estrada que diariamente circulam muitos veículos e o estado dela, com excesso de buracos e abatimentos, apresenta das piores condições existentes no concelho. Toda a estrada precisa de uma intervenção profunda. Com a estrada municipal 511 que liga Provizende ao Merujal, via principal de acesso à serra da Freita, o estado é o mesmo, sendo que aqui precisa também, urgentemente, de protecções laterais e marcação horizontal na estrada. É uma estrada com muito movimento turístico para a serra da Freita. Só quem lá passa é que sabe a dificuldade diária de circular nessa via, principalmente no Inverno. O estado destas estradas actualmente não é digno para quem lá vive e tem que passar nelas tão degradadas e perigosas. Estas estradas merecem ser requalificadas de tal maneira que mostrem a dignidade que o povo de Urrô merece.

A instalação do Centro de Dia da SCMA na sua freguesia está a ser uma mais-valia para Urrô?
Tudo o que seja instalado na freguesia para que os fregueses possam estar mais próximos das instituições que necessitam, é sempre uma mais-valia para a freguesia. O Centro de Dia da SCMA é uma delas. A freguesia de Urrô, assim como a maioria das freguesias, tem uma população envelhecida e assim tem o Centro de Dia próximo e disponível. Deveria também estar na freguesia o pólo escolar, também seria uma mais-valia, que não foi construído quando deveria por ter sido muito mal acompanhado pelos responsáveis na altura.

Já reuniu com a presidente e vereadores socialistas?
Sim. Com a presidente algumas vezes, com os vereadores várias vezes. Apresentamos, no final de 2017, à presidente e aos vereadores algumas das obras para este ano que consideramos prioritárias para a freguesia, a pedido da maioria dos fregueses e que terão que ser executadas com o apoio total da Câmara Municipal de Arouca. Há obras que sem a sua ajuda não as conseguimos fazer. As Juntas de freguesia dependem muito do município. É necessária uma maior descentralização de poderes. A Câmara Municipal deveria aumentar as verbas transferidas para as Juntas de Freguesia, para serem mais autónomas. Se tivéssemos mais autonomia, poderíamos fazer muito mais. Sabemos o que queremos, sabemos como fazer e também sabemos gerir as verbas que nos são atribuídas. Mas eu espero, neste mandato, que haja um equilíbrio na distribuição das verbas entre as diversas freguesias tendo em conta as que menos apoios tiveram nos últimos anos. Espero proximidade e o acompanhamento das necessidades da freguesia de Urrô, tanto ao nível da Junta de Freguesia como das associações e da população. Espero do executivo camarário uma postura de colaboração isenta, séria e empenhada. Não apenas com algumas.

Como se caracteriza o autarca Geraldo Campas?
Não sou militante de nenhum partido politico. Comecei nestas andanças há quatro anos atrás quando me
convidaram para fazer parte de uma lista à Junta de Freguesia. Ganhamos as eleições. Nomearam-me vogal. A partir daí já conhecem o caminho percorrido até ao momento. Assim como na minha vida pessoal e profissional, também desempenharei com competência, honestidade e humildade as funções que me foram confiadas. Para mim não há espaço para rivalidades doentias. Mas garanto que isso não me impede de ser reivindicativo e de bater o pé quando é preciso.

Na sua opinião o que falhou na candidatura PSD/CDS à autarquia, na medida em que nas Juntas a hegemonia de centro-direita se manteve?
Não sei o que falhou. A candidatura PSD/CDS à autarquia era uma candidatura muito boa para ganhar as eleições. Assim como as das Juntas de Freguesia. Os arouquenses optaram pela continuidade. Mas houve uma quantidade muito grande de arouquenses que se reviam no seu projecto, centrado, entre outras, na melhoria dos acessos rodoviários, bem como o aumento da rede de saneamento e da preocupação com o preço da água.

Está nos seus horizontes voos mais altos na política autárquica arouquense?
O futuro a Deus pertence. Neste momento a minha única ambição é ajudar a freguesia a desenvolver-se. Tenho pouca experiência política, a não ser como secretário na Junta de Freguesia no último mandato, mas conheço bem o que é mais importante: a freguesia, do vale à serra, os seus problemas e as pessoas. JCS 2018-05-05

 
Arouca

Sábado, 21 de Julho de 2018

Actual
Temp: 22º
Vento: NNW a 6 km/h
Precip: 0 mm
Nublado
Dom
T 24º
V 0 km/h
Seg
T 24º
V 3 km/h
PUB.
PUB.
 
INQUÉRITO
Concorda com a transformação urbanística/rodoviária na entrada poente da vila de Arouca?
 
 
A Frase...

"Passou mais de um ano desde a famosa promessa do Entroncamento, mas até ao momento a via Arouca-Feira continua parada"

Rui Vilar, presidente do PSD Arouca

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 40 visitantes online