SOCIEDADE
 
PSD Arouca solidário com antigos comandantes dos Bombeiros
 
Relatório ao grande incêndio de 2016 no concelho aponta 'falhas graves' de coordenação no combate. ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA EMITE COMUNICADO
 
   Mais fotos
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
O grande incêndio que deflagrou no concelho de Arouca no Verão de há dois anos, entre os dias 8 e 15 de Agosto de 2016, teve "falhas graves" de coordenação e foi detectado que dois antigos comandantes da corporação arouquense - Carlos Esteves e Floriano Amaral - dirigiram operacionais durante o combate de forma ilegal (por estarem já em situação de 'reforma' - e como tal inabilitados). É o que conclui o relatório da Inspecção-Geral da Administração Interna, dado à estampa no fim-de-semana passado pela imprensa nacional.
O fogo, com origem em São Pedro do Sul, reduziu a cinzas dois terços da área florestal do concelho.
Em comunicado enviado à redacção do RV, o PSD Arouca manifesta solidariedade aos dois antigos comandantes, pertencentes ao Quadro de Honra dos BVA. 2018-03-14

COMUNICADO PSD AROUCA | Manifestação de solidariedade com os comandantes honorários dos Bombeiros Voluntários de Arouca. Foi agora tornado público a conclusão do relatório que a Ministra da Administração Interna determinou, à Inspeção-Geral da Administração Interna, para o apuramento dos factos relacionados com o combate ao incêndio que, em Agosto de 2016, atingiu fortemente o município de Arouca.

Entre os vários factos apurados, há um registo pernicioso: "Nos dois primeiros dias de incêndio, quem comandava as operações de socorro eram dois comandantes do quadro de honra dos Bombeiros Voluntários de Arouca, o que não permitido no quadro legal".
Considerando o destaque que este aspeto tem tido, a relevância na comunicação social e, sobretudo, o facto deste relatório ter sido enviado, por determinação do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, para o Ministério Público, leva os autarcas do PSD Arouca e o seus dirigentes a manifestar toda a solidariedade com os ex-comandantes Carlos Esteves e Floriano Amaral.
Na oportunidade, aproveitamos o ensejo para elogiar publicamente a sua abnegada ação em defesa de um património de todos, fruto de uma comprovada experiência de décadas ao serviço dos Bombeiros de Arouca.
Da mesma forma lamentamos que o Estado português, que também naquela altura se revelou incapaz e incompetente (de que é exemplo paradigmático a inação da proteção civil, nas suas diferentes dimensões), aja de forma desculpabilizante, sacudindo a "água do capote" e tentando encontrar "bodes expiatórios" onde não existem.


COMUNICADO BVA | COMANDANTES "ILEGAIS"

A comunicação social noticiou o envio, por parte do MAI, ao Ministério Público do inquérito ao grande incêndio de Agosto 2016 que atingiu os concelhos de Arouca e S. Pedro do Sul, no sentido de se apurar se existe matéria criminal, nas diversas actuações.
Para já, a principal "ilegalidade" retirada do relatório parece ser a participação dos dois Comandantes do Quadro de Honra dos Bombeiros Voluntários de Arouca no apoio à tentativa de contenção do fogo nas primeiras horas, enquanto se aguardava o reforço de meios vindos do exterior que, além de empenhados em outras frentes, enfrentavam as habituais dificuldades em chegar a Arouca, agravadas pela distância efectiva e pelo traçado centenário das vias de ligação que dão acesso ao concelho.
A ser verdade que a principal conclusão do relatório possa ser essa "ilegalidade", tal só pode acontecer pelo desconhecimento da realidade objectiva nas situações em que estão em perigo pessoas e bens. Tal conclusão remete-nos para o absoluto repúdio e sentimento de revolta por se procurar, mais uma vez, encontrar bodes expiatórios para servir à opinião pública e encobrir os "deslizes" das estruturas ao mais alto nível que, infelizmente se repetiram nas tragédias de 2017. Pelo tempo gasto no inquérito esperamos que se tenha concluído também se as ignições foram levadas à prática por algum incendiário ilegal, ou seja, sem a respectiva licença para tal.
A onda poluente que pretende denegrir o trabalho qualificado, competente e abnegado, dos Bombeiros Voluntários deste País está em marcha e chegou a Arouca para colocar em causa a sua Corporação e os seus Comandantes do Quadro de Honra, cuja competência e entrega à causa humanitária durante décadas, sempre foram reconhecidas. O mesmo se reconhece à actual estrutura de Comando e todo o Corpo Activo, nos quais depositamos confiança total.
Se a Lei veda o exercício em actividades operacionais aos Comandantes do Quadro de Honra, não lhes pode subtrair o direito de cidadania para exercerem e apoiarem, com a sua experiência acumulada nas matérias em que são credenciados, principalmente quando a vida dos seus amigos e vizinhos, e o bem comum, estão em risco.
São por vezes caricatos os meandros das Leis: Qualquer dia, um qualquer iluminado proporá que seja "vedada" a participação dos antigos Presidentes da República no Conselho de Estado!
Resta-nos ser pacientes, e manter a serenidade possível, na defesa intransigente da nossa instituição e de todos que a servem ou serviram, perante os "insultos" a que são sujeitos. Deixem trabalhar quem trabalha e respeitem a dignidade das pessoas. Por estas terras do interior esse atributo ainda tem significado, mesmo causando alguns incómodos.
Arouca - Quartel dos Bombeiros Voluntários, 15 de Março de 2018
A Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arouca

 


 
Arouca

Quarta, 17 de Outubro de 2018

Actual
Temp: 14º
Vento: WSW a 3 km/h
Precip: 2.1 mm
Chuvas Fortes
Qui
T 18º
V 5 km/h
Sex
T 19º
V 5 km/h
PUB.
PUB.
 
INQUÉRITO
Qual dos vereadores da oposição mais se destacou no primeiro ano de mandato?
 
 
A Frase...

"O orçamento para esta época ronda os 50 mil euros"

Júlio Moreira, presidente da UD Mansores, em entrevista ao RV

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 53 visitantes online