ASSOCIATIVISMO
 
É da UD Mansores a primeira mulher a mandar no futebol em Arouca
 
Daniela Bessa Tavares foi recentemente eleita para a presidência da direcção do clube
 
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
Não é a primeira no país nem a primeira no distrito de Aveiro, mas é a primeira mulher a liderar um clube de futebol no concelho de Arouca. Falamos de Daniela Bessa Tavares, recentemente eleita para a presidência da direcção do clube de Mansores. Licenciada em Turismo e pós-graduada em Gestão Estratégica de Recursos Humanos, decidiu usar a experiência, a dedicação e a coragem para avançar para a presidência do clube da sua terra natal, abrindo uma página inédita na história do futebol arouquense, uma narrativa de longas décadas de clubes tradicionalmente geridos e dominados por homens.

Outra mulher na vice-presidência

Secretária da direcção no anterior mandato de Carlos Araújo, as circunstâncias da época passada atiraram Daniela Tavares para a frente da batalha vitoriosa que fez regressar a UD Mansores pela terceira vez à Divisão de Elite, o primeiro escalão do futebol aveirense, onde a colectividade irá tentar a permanência. Aos 29 anos, é com este desafio pela frente que a principal dirigente veste a camisola e encara o novo cargo confiante no trabalho de equipa dos seus pares de direcção, elenco que também fala feminino na vice-presidência assumida pela colega mansorense Daniela Cristina Tavares. Em Mansores as mulheres também vão escrevendo a história e conquistando tempo e espaço no dirigismo desportivo.
No dealbar da nova temporada, RODA VIVA falou com a nova presidente da UD Mansores, clube cuja fundação remonta à ACRD Mansores que, em 2005, então sob a presidência de Jorge Oliveira, criou o futebol federado na freguesia. Já lá vão 17 anos e, hoje, Mansores revoluciona ao abrir portas à arte de dirigir conjugada no feminino.

«Além de ser o rosto da UD Mansores sou também a representação de que as mulheres tudo podem»

De onde nasceu essa motivação e essa ligação à UD Mansores?
«A minha ligação com a UD Mansores existe desde o início do futebol em Mansores, uma vez que o meu pai foi um dos sócios fundadores e durante muitos anos desempenhou o papel de diretor. Quando cheguei à idade que me possibilitou ser membro da direção e já tinha terminado a minha licenciatura, no ano de 2015, avancei sem qualquer receio, inicialmente como colaboradora e à posterior como tesoureira. Na época 2018-2019, por motivos pessoais deixei os corpos sociais da UD Mansores, mas não deixei de todo a minha paixão pelo clube. Em 2021, o então candidato a presidente da UD Mansores, convidou-me para integrar novamente os corpos sociais, tendo o cargo de secretária da direção, convite esse que aceitei com todo o orgulho e compromisso.»

Na época anterior era secretária da direcção e acabou a substituir o presidente Carlos Araújo por motivos de saúde. Que sentimento a levou a resolver avançar para a presidência da UD Mansores?
«Os meses em que me foi confiada a gestão do clube, foram sem dúvida os mais desafiantes até ao dia de hoje, mas apesar de todas as dificuldades o facto de ter conquistado o respeito e a confiança de todos os envolvidos na UD Mansores fez-me acreditar que seria possível ocupar o cargo de presidente.»

Como encara o facto de ser a primeira mulher a alcançar este cargo na história do futebol no concelho de Arouca?
«Ainda não tinha sido uma quest&atild />
DECLARAÇÕES
«O FC Arouca já tinha demonstrado interesse na minha contratação desde o ano passado e isso pesou na minha decisão. O clube insistiu, demonstrando o quanto me queriam no clube e que fosse mais um a ajudar a conseguir alcançar grandes feitos por cá.»
«A Liga Portugal bwin é uma liga em crescimento, que aposta num futebol vistoso, mas que se dá bastante importância em jogar bem e com posse de bola. Além disso, dá boas oportunidades aos jogadores jovens de crescer, o que é fundamental para mim».
«Chego a Arouca com boas expetativas. Espero que, primeiro, os reforços se adaptem e que daí consigamos criar uma boa harmonia para um bom ano. Depois, só quero que no final conseguir algo melhor que o ano anterior.»

Contratações FC Arouca 2022/2023
Ignacio Arruabarrena, guarda-redes, uruguaio, 25 anos (ex- Montevideo Wanderes).
Rafa Mújica, avançado, espanhol, 23 anos (ex-Las Palmas).
Morlaye Sylla, médio ofensivo, guineense (Conacri), 23 anos (ex-Horoya AC).
Jerome Opoku, defesa central, inglês, 23 anos, (ex-Vejle, da Dinamarca).
Tiago Esgaio, lateral direto, português, 26 anos (emprestado pelo SC Braga).
João Valido, guarda-redes, português, 22 anos (ex-Vitória de Setúbal)
Bogdan Milovanov, defesa direito, ucraniano, 24 anos (ex-Sp Gijón)
Ismaila Soro, médio defensivo, costa-marfinense, 24 anos (ex-Celtic)
Rafael Fernandes, defesa central, português, 20 anos (ex-Sporting)
Vitinho, médio ofensivo/extremo, brasileiro, 22 anos (ex-Corinthians)
Oriol Busquets, médio defensivo, espanhol, 23 anos (ex-Clermont)

 
Arouca

Terça, 29 de Novembro de 2022

Serviço temporariamente indisponível!

PUB.
PUB.
 
 
A Frase...

"Quero ser sepultado com a farda dos Bombeiros Voluntários de Arouca"

Arlindo Soares, primeiro instrutor dos BVA, em entrevista ao RV

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | visitantes online